Segundo dia em Lisboa: nossos passeios e dicas

O melhor de viajar esteve em viagem por Lisboa, no último mês de novembro. A capital portuguesa foi o nosso primeiro destino de cerca de 10 cidades em 5 países, em nosso roteiro. Foi a primeira vez que estivemos em Lisboa, onde ficamos por 3 dias. E, apesar dela ter características do centro histórico do Rio de Janeiro, é uma cidade tranquila.

Lisboa foi descoberta por turistas nos últimos anos e está sempre lotada deles, em qualquer lugar. Inicialmente, não planejávamos ir para Lisboa nesta viagem. Mas, na hora de reservar a passagem, fomos beneficiados com um stopover da TAP, antes de seguir para Londres.

Nosso roteiro teve a companhia da chuva em alguns instantes, que dificultou deslocamentos na rua e visita a alguns monumentos. No último dia, como estava programando chuva pela manhã, resolvemos deixar para visitar a cidade de Sintra, na parte da tarde. Mas, a chuva também atrapalhou os passeios da manhã e acabamos desistindo de visitar Sintra.

Onde se hospedar em Lisboa

Em Lisboa, você encontra bons hotéis nas proximidades do metrô Rossio, localizado no centro histórico da cidade. Mas, é possível que você encontre melhor custo x benefício em qualquer área que tenha uma estação da Linha Verde (entre Alameda e Martim Moniz).

Primeiro dia de nossa viagem por Lisboa

Veja aqui as principais informações sobre o nosso primeiro dia em lisboa: como sair do aeroporto até o hotel; como se deslocar por lisboa e; principais atrações do primeiro dia: Praça do Rossio, Rua Augusta, Terreiro do Paço e outros passeios.

Segundo dia em Lisboa

Nosso segundo dia começou cedo, com um café da manhã delicioso em uma típica padaria portuguesa, bem próxima ao nosso hotel. Programamos para que os passeios deste dia fossem feitos em Belém. Assim, teríamos tempo para vistar o Monumento dos Descobridores, a Torre de Belém, o Mosteiro de São Bento e a Antiga Confeitaria de Belém, para degustar os genuínos pastéis de Belém.

Como chegar a Belém

Inicialmente, pegamos o metrô linha verde com destino à estação Cais do Sodré, que é de onde partem os trens para Cascais. A linha de Cascais passa por Belém, que era o destino de nosso passeio. Há outras formas de chegar a belém como os bondes, chamados de elétricos, ou ônibus.

Padrão dos Descobrimentos

É um monumento que foi construído com o objetivo de homenagear os navegadores que desbravaram mar e terra para descobrir inúmeros países. Está localizado em Belém, às margens do rio Tejo. Ao pé do monumento, você verá uma rosa dos ventos com os caminhos e trajetórias realizados pelos navegadores portugueses.

Originalmente, sua construção em 1940 se deu para a Exposição do Mundo Português que comemorava as conquistas de exploradores durante a Era dos Descobrimentos. No entanto, o monumento projetado pelo arquiteto Cottinelli Telmo e pelo escultor Leopoldo de Almeida, havia sido feito por uma leve estrutura de ferro e cimento foi demolido em 1958.

Em 1960, em comemoração ao 500º aniversário de Infante D. Herique, foi reerguida uma réplica exata do original. Mas, para essa nova construção foram utilizados concreto armado e pedra rosal de Leiria.

Torre de Belém

A Torre de Belém foi nossa segunda parada neste dia. A torre é um ponto turístico obrigatório de Lisboa. Construída em 1520, durante seus cinco séculos, a torre já foi forte, prisão, alfândega e farol. Hoje em dia, é o monumento mais expressivo e um dos principais cartões-postais de Portugal. Ela também está localizada na margem do Rio Tejo, a uma pequena caminhada do Padrão dos Descobrimentos.

O monumento é incrível por sua história, mas também pela arquitetura. Ela é toda rodeada por decorações e brasões das armas de Portugal e inscrições de cruzes da Ordem de Cristo, nas janelas de baluarte. Símbolos de uma época em que Portugal era uma potência global.

Para visitar a Torre de Belém, você deve comprar seu ingresso antecipadamente pelo site. É possível adquirir passeios na hora, mas poderá enfrentar uma fila com longa espera.

A nossa visita à torre foi super rápida. Ao chegarmos lá, ficamos um tempo contemplando sua arquitetura e a paisagem ao redor. Mas, avistamos que uma forte chuva estava chegando e procuramos um abrigo.

Mosteiro de São Bento

O Mosteiro de São Bento também está a uma caminhada da Torre de Belém, do outro lado da avenida principal e do trilho de trem que corta o bairro. Fomos caminhando até lá após estiagem. Contudo, a chuva era intermitente e precisamos nos abrigar algumas vezes.

Enfim, conseguimos chegar lá. Mas, por causa de uma fila enorme e como já era hora do almoço, admiramos somente seu exterior e planejamos voltar logo após almoçarmos.

O Mosteiro é lindo e possui uma construção que impressiona bastante. Sua arquitetura é sensacional, com belos vitrais e conta história de Portugal. Em seu interior, ele guarda os túmulos de Fernando Pessoa e Alexandre Herculano.

O mosteiro tem funcionamento de 10h-18h, exceto às segundas, quando fica fechado. Para visitar o mosteiro, também é possível comprar ingresso antecipadamente.

Antiga Confeitaria de Belém

Já conhecíamos a fama da fábrica de Pasteis de Belém, em Lisboa. Antes de viajar, pesquisamos bastante para poder planejar nosso roteiro e, em todas as dicas foram categóricos “Pasteis de Belém originais só em Belém, fora dali só pasteis de nata”. Mas, que também deveríamos experimentar esses “pasteis de nata”, em outros lugares como a Confeitaria Nacional.

Então, podemos dizer que os Pasteis de Belém originais são deliciosos. Eles possuem um recheio incrivelmente cremoso e a casquinha crocante. É um lugar imperdível, em nenhum lugar no mundo você vai encontrar sabor igual. O segredo da receita dos pasteis de Belém está no recheio. A lenda diz que a receita foi criada por monges do Mosteiro dos Jerónimos em 1837 e que o segredo da receita é mantido até hoje, por acordo de confidencialidade.

Ao chegar lá, entramos e fomos direto ao maior salão no final, logo após os banheiros. Tinha uma fila de espera. Mas, esperamos poucos minutos até que uma mesa ficasse desocupada. Sentamos e fizemos o pedido diretamente ao garçom. Fomos atendidos rapidamente, além dos pasteis de Belém, também pedimos bolinhos de bacalhau e chocolate quente, devido ao frio após a chuva. Podemos dizer que, os pasteis de Belém foram uma experiencia sem igual. Mas, os pasteis de bacalhau não são iguais aos da Casa Portuguesa dos Pasteis de Bacalhau, na Rua Augusta, onde fomos em nosso primeiro dia em Lisboa.

Outros passeios no segundo dia (Dica Bonde/Eléctrico 28)

Retornamos ao centro de Lisboa e fomos até Martin Moniz. Tentamos fazer o passeio do Eléctrico 28, mas o tamanho da fila estava impossível. Esperamos uma meia hora e nada do bonde. Mas, quando chegou, esvaziou um pouco da fila (foto abaixo). Entretanto, pela quantidade de pessoas que eu contei, ainda restariam uns 3 ou 4 bondes a esperar e a noite já estava caindo.

Então, decidimos retornar no dia seguinte, bem cedo. Refizemos um passeio pela Rua Augusta. Paramos, mais uma vez, na Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau e, também, fizemos umas compras no comércio local. Finalizamos nosso dia e retornamos para o hotel.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: