Como planejar um bom roteiro para a sua próxima viagem

Um bom roteiro de viagem não é uma tarefa fácil. Somente com o tempo iremos melhorar cada vez mais nossos deslocamentos. Além do conhecimento geográfico do local, é ideal também saber como se deslocar pelas cidades que desejamos visitar. Estive em um fórum, debatendo com os participantes sobre um determinado roteiro. Neste roteiro, havia algumas das cidades que desejávamos visitar nas nossas próximas viagens. No entanto, como a própria pessoa havia dito, estava em busca de dicas sobre o roteiro de viagem pretendido. Ela ainda informou que haveria possibilidade de cancelar a ida em algum dos países informados. Esse roteiro nos chamou a atenção devido ao pequeno número de dias em alguns países. Além disso, havia também longos deslocamentos onde só vai permanecer uma noite.

Aeroporto de Barajas, Madri

O que queremos trazer aqui, não é uma crítica para quem faz seus próprios roteiros, mas sim uma orientação. Sabemos que, às vezes, temos uma chance única de visitar certos lugares e, pelo fato de estarmos tão perto, esprememos uma quantidade enorme de dias em um curto período de férias e não é bem assim. Na maioria dos casos, isso eleva os custos de nossa viagem e acabamos por não ver tudo o que desejamos porque as cidades parecem ser maiores do que quando planejamos inicialmente.

Roteiro de viagem inicialmente desejado

O gráfico abaixo mostra o roteiro de viagem desejado pelo participante do fórum, onde:

  • Destino — cidade/país de destino.
  • Check-in — dia donde será realizado o check-i no hotel.
  • Dias da viagem — dias livres, sem compromisso com check-in ou check-out.
  • Check-out — dia de saída do hotel e deslocamento para a próxima cidade.

Roteiro de viagem para Europa

O total de deslocamentos ficou em  6998km. O ponto de entrada na Europa é Madri e o ponto de saída, Paris. Veja como ficaria o mapa do roteiro de viagem citado.

São 14 cidades em 35 dias.  Durante 13 dias, a pessoa terá que se preocupar em fazer o check-out do hotel e se deslocar até o aeroporto ou estação de trem. Depois de viajar até o próximo destino, ainda terá que ir até o hotel e fazer o check-in. Nos casos de voo, é ideal chegar com bastante antecedência nos aeroportos para fazer o check-in, despachar a mala e, quando o voo chegar ao local, ainda tem que esperar pela mala.

Sem contar o tempo gasto com o deslocamento, sobram 22 dias inteiros para conhecer todas as cidades, uma média de 1 dia e meio para cada uma, o que para algumas cidades como Londres e Paris, é inviável.

Ambientação

Na maioria dos casos, ainda temos a ambientação em uma nova cidade e, por vezes, um novo idioma. Ademais, cada município possui uma maneira diferente de se deslocar da estação ou do aeroporto para o centro da cidade.

Podemos estar com todo o planejamento no papel, mas nos deparamos com algumas coisas que não funcionam, mesmo na Europa. Quando cheguei em Londres, as máquinas para comprar o Oyster Card no aeroporto não estavam funcionando.

14534829043_f02c96000f_o

Como organizar melhor esse roteiro de viagem – pontos importantes

  • Chegar por Madri pode ser desnecessário. Pelo roteiro, o participante informou que o voo para Bruxelas era 6h da manhã, no dia seguinte da chegada. Além disso, o recomendado para Madri é de 4 a 5 dias. O ideal é chegar logo em um lugar onde já se vai visitar. Seguindo mais ou menos o roteiro, o ideal é não passar duas vezes pelo mesmo lugar, evitando ir e voltar, fazendo com que o roteiro de viagem seja uma linha só. Então, assim como indicado no fórum, decidimos escolher Munique como entrada a Europa.
  • Outro ponto é que o final da viagem é por Paris, onde a pessoa vai ficar 3 dias porque já esteve em outra oportunidade. No entanto, Bruxelas e Amsterdã são facilmente conectadas com Paris e Londres pela Eurostar. Então, como também foi indicado no fórum, essas cidades ficariam no final, com saída por Amsterdã. A pessoa não precisará ir até Amsterdã para voltar a Paris.
  • Um dos pontos mais importantes é que a viagem será feita durante o mês de março, por causa do St. Patrick’s Day, na Irlanda, no dia 17. Sendo necessário chegar até o dia 14 (16º dia da viagem) em Dublin, pois os preços triplicam por causa do evento.
  • A pessoa também indicou que gostaria de ver neve. A 90km de Munique fica Garmisch-Partenkirchen, um bate-volta onde é possível ir de trem, saindo da estação central de Munique. Você pode escolher comprar o passe integrado com o trem para a montanha de Garmisch-Classic por €46 ou para Zugspitze por €52. O local é o destino ideal para aproveitar o clima dos alpes alemães e esquiar. A temporada de esqui vai de novembro até o final de abril, maiores informações podem ser consultadas no site oficial (em inglês).

Roteiro de viagem organizado

tabela2

Munique

O primeiro dia é de ambientação. Normalmente, depois de chegar ao hotel, procuramos dar uma volta pelo centro da cidade ou algum lugar onde podemos passar mais de uma vez, se sobrar tempo. Em Londres, fomos para a Piccadilly Circus, apesar de colocarmos a Trafalgar Square como ponto central. Em Munique, o local indicado é a Marienplatz. Para o segundo e o terceiro dia, é para conhecer a cidade e seguir a programação de visitação a museus, parques, etc. No quarto dia, como dissemos anteriormente, pode ir ver a neve nos alpes alemães. No entanto, é possível que já tenha visto neve na própria cidade de Munique. Os 3 dias inteiros podem ser alternados, você pode querer ver a neve primeiro e fazer os passeios depois. Mas, procure comprar as passagens antecipadamente até o local do passeio, para não ter alguma surpresa.

Marienplatz, Munique

Berlim

No quinto dia, siga de Munique para Berlim de trem, a viagem dura 6h, comprando com antecedência de 2 meses, é possível conseguir descontos de até 50%, fique de olho no site da Deutsche Bahn. A vantagem de viajar de trem, apesar do tempo de viagem, é que você pode escolher o horário de trem mais conveniente para seguir. Às vezes, o voo mais barato acontece em horários mais cedo ou de madrugada e ainda temos que esperar para fazer o check-in no hotel ou pagar para fazer o check-in mais cedo. Sem contar que, é possível pegar o trem no centro da cidade, sem deslocamentos até as zonas mais distantes da cidade.

Alexanderplatz, Berlin
Copenhague

Vá de avião para para capital dinamarquesa no nono dia, a viagem dura 1h.  Você pode optar em seguir de trem ou ônibus, saindo da estação central de Berlim. A viagem dura entre 6h e 7h.

De Berlim, é possível ir para Frankfurt como alternativa a Copenhague, onde é possível realizar um cruzeiro fluvial pelo Vale do Reno. A viagem de trem dura somente 3h.

Rådhuspladsen, Copenhague

Edimburgo

Não importa para qual das cidades tenha ido, no 12º dia, vá de avião para Edimburgo, na Escócia. O roteiro de viagem inicial previa 2 dias inteiros, com visita ao Lago Ness e as Terras Altas escocesas. Acrescentamos um dia a mais para ser possível um bate-volta a Glasgow, como opção.

Urquhart Castle, Loch Ness

Dublin

No 16º dia vá de avião para a capital da Irlanda. Mantivemos o roteiro de viagem inicial, onde o início do St. Patrick’s Day, no dia 17 de março, coincide com o 19º dia da viagem.

St. Patrick's Day em Dublin

Londres

Siga para capital britânica no 20º dia de avião e fique 5 dias inteiros por lá, o que é o mínimo recomendado. Estivemos, pela primeira vez, em 2015 na cidade e sempre fica a impressão que falta alguma coisa para ver. A maioria das atrações turísticas e lugares para visitar ficam entre a zona 1 e a zona 2, a cidade é a maior capital da Europa e possui uma grande área urbana, diversos parques, museus e galerias. Ainda é possível realizar passeios bate-volta para as cidades que estavam no roteiro anterior como Cardiff, a partir da estação de Paddington, e Liverpool, da estação de Euston.

Bruxelas

Siga para a cidade belga de trem no 26º dia, através do Eurotúnel. A viagem dura pouco mais de 2h, sem conexões. O roteiro de viagem inicial previa 1 dia inteiro lá. No entanto, o ideal é ficar 2 dias inteiros e aproveitar 1 dia para visitar Bruges, uma cidade medieval incrível, considerada patrimônio da humanidade pela Unesco.

Entre Londres e Bruxelas, é possível optar por ir até Paris. No entanto, são recomendados no mínimo 5 dias para aproveitar a cidade. Como a pessoa indicou que já havia visitado, pode ser realizado um complemento de 2 ou 3 dias de viagem anterior para visitar, além de Paris, o Palácio de Versailles, em Versailles, e os Jardins de Monet, em Giverny, caso não tenham sido visitados em outra oportunidade.

Grand-Place de Bruxelas

Amsterdã

Siga de trem para a capital holandesa no 30º dia e fique dois dias por lá. É uma cidade pequena, onde muitos passeios podem ser feitos a pé ou de bicicleta. Pelo centro da cidade ficar a menos de 15 minutos do aeroporto de Schipol, é uma cidade ideal para se deslocar em uma última estadia. Siga de volta para o Brasil no 33º dia.

Amsterdã

Alternativas de roteiro de viagem

Uma segunda opção, em substituição a Munique, Berlim e Copenhague, no incio da viagem, seria chegar por Milão, ficando 3 dias inteiros (um dia para check-in, 3 dias inteiros e um dia para check-out, são 4 diárias de hospedagem). Siga para Tirano, na fronteira da Itália com a Suíça.

No dia seguinte, faça o passeio de trem do Bernina Express pelos Alpes suíços, onde poderá ver lindas paisagens e muita neve, seguindo até Zurique em outro trem a partir de Chur, ficando 2 ou 3 dias lá. Siga para Munique de trem ou para Berlim, de avião. Ficando também 2 ou 3 dias, escolhendo o inverso da opção anterior. Durante o horário de verão europeu, é possível ir direto de Milão para Zurique em um mesmo dia, pois o sol se põe depois das 20h. No inverno é arriscado, pois ao subir o caminho dos alpes, pode já estar escuro, perdendo a parte nevada da viagem.

Swiss Railtour Bernina Express 113

Antes de viajarmos, principalmente para a Europa, costumamos fazer entre 2 e 4 roteiros possíveis dentro de um determinado período de nossas férias. Como isso, é possível visualizar custos estimados e possibilidades de trajeto. Na primeira vez, definimos um ponto de entrada e saída no mesmo local. Depois, percebemos que isso duplicava custos de transporte porque teríamos que retornar para o ponto de chegada.

O deslocamento é peça chave de um roteiro, às vezes certos trajetos podem elevar o custo de uma viagem. Quando fizer o seu roteiro, verifique a possibilidade de realizar um stop over ou incluir múltiplas cidades no seu voo. Um stop over é uma forma de esticar mais a escala do avião. Às vezes, vamos ficar 3h ou 6h em um aeroporto, só esperando o voo. É possível esticar esse tempo para 1 dia ou mais, sem pagar nada ou quase nada por isso. Já, incluir múltiplas cidades, facilita a entrada e saída por cidades diferentes, facilitando roteiros de viagem em linha reta.

Dicas para otimizar seus roteiros

Deslocamentos

Não conte com os dias de deslocamentos para reservar passeios que precisam ser agendados antecipadamente. Podemos contar com diversos imprevistos, além da ambientação, como já dissemos. O importante, neste dia, é chegar ao hotel e, se sobrar tempo, aproveite conhecendo a cidade.

Uma noite nas cidades – somente em situações especiais

Realize viagens para locais onde só vai ficar uma noite somente em casos especiais, como por exemplo, quando resolvemos nos deslocar para ficar uma dia em Fiumicino ao invés de Roma, pois o voo para o Brasil sairia antes das 8h da manhã. Mas, nesse caso, já tínhamos aproveitado vários dias em Roma e foi uma necessidade logística que evitaria a perda do voo de volta ao Brasil.

Também tivemos a oportunidade de passar uma noite em Gênova, antes de embarcar em um cruzeiro. Mas, devido ao deslocamento entre Paris e Gênova ser muito longo para um dia, optamos por ficar em Turim com um dia inteiro para visitar Aosta, no Valle d’Aosta. Partimos no dia seguinte para Gênova, embarcando direto. Não tivemos tempo de conhecer nada em Turim, é verdade, devido ao pouco tempo entre Paris e o embarque no cruzeiro. Mas, nossa preferência era ir para Aosta, deixando a capital de Piemonte para outra oportunidade.

Viajar de avião ou de trem?

Viajar de avião, como já citado tem a facilidade do tempo de deslocamento. No entanto, além do tempo de check-in, despacho e retirada da mala, espera pelo voo e, em alguns casos, passagem pela imigração, é necessário ficar muito atento durante o momento da compra para evitar pegadinhas.

As cias aéreas, principalmente as low-cost, costumam realizar promoções que podem valer a pena. No entanto, cobram por diversos itens como marcação de assento e bagagem (inclusive a de mão). Algumas cias, como a Ryanair, chegam a cobrar 20 euros por quilo de bagagem. Para quem sai do Brasil, planejando passar um bom tempo na Europa, pode sair caro.

Outra desvantagem é que a maioria dos aeroportos ficam longe do centro das cidades, sendo necessário pagar pelo deslocamento até o aeroporto e até o hotel, quando chegar no destino.

A desvantagem das viagens de trem é o tempo de viagem e o custo, quando não se compra antecipadamente. É possível viajar em trens noturnos (com custo adicional), mas eliminando um dia de gasto com hospedagem, no entanto, pode não ser confortável como uma cama de hotel e pode prejudicar o dia seguinte de passeios, em caso de cansaço.

Grandes centros e cidades próximas

A vantagem de aumentar o número de dias em grandes centros é poder realizar bate-voltas em cidades próximas. Na maioria das vezes, são viagens rápidas que eliminam grandes deslocamentos em nossos roteiros de viagem, só carregando o que for necessário, deixando a mala no hotel.

Em alguns países da Europa, como a Itália, você pode economizar viajando em trens regionais. Assim, é possível descer e pegar o próximo trem, sem precisar gastar com mais um bilhete. Fizemos isso viajando de Gênova para Florença. Descemos em Pisa para conhecer a cidade, deixando as malas em depósitos de bagagem na estação, evitando os custos com um bate-volta.

Cruzeiros

Em alguns casos, realizar um cruzeiro pode ser uma alternativa vantajosa, principalmente viajando em família. Você economiza com hospedagem, alimentação e deslocamento. Além disso, você consegue fazer roteiro de viagem entre países mais distantes.

Resultado final – economia, roteiro otimizado e mais dias para visitar as principais cidades

No final das contas, sem contar os bate-voltas, o deslocamento final foi reduzido para mais da metade, ficando com 3153km. Diminuindo de 14 para 8 dias em trânsito entre as cidades, com 24 dias livres para passeios, em 32 dias de viagem.

É claro que, o roteiro de viagem mostrado aqui não é uma alternativa definitiva. Mas, serve de ideia para que sejam elaborados novos roteiros, procurando sempre otimizar os deslocamentos e aproveitar melhor cada cidade.

*Atualizado em 20/07/2016 às 10:45

3 comentários em “Como planejar um bom roteiro para a sua próxima viagem

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: