O que fazer em Zermatt

O que fazer em Zermatt? O turismo na cidade tem como principais atividades o montanhismo e o esqui nos Alpes suíços. Com 1600m de altitude, a cidade fica localizada no Cantão de Valais, em uma região rodeada de picos e montanhas, inclusive as mais famosas do mundo.

Zermatt, até meados do século XIX era uma pequena comunidade que tinha como atividade principal a agricultura. Hoje, cerca da metade dos moradores da cidade está empregada em áreas destinadas ao turismo. A cidade ainda é pequena, possui cerca de 5.800 habitantes e tem como predominância o idioma alemão. O número da população pode ser elevar a qualquer momento, devido a quantidade de turistas que visitam a cidade, em qualquer época do ano. Para preservar o meio ambiente e a identidade original, a cidade proíbe a circulação de veículos com motor à combustão no local. Somente pequenos automóveis elétricos, utilizados na prestação de serviços, posuem licença para trafegar em Zermatt. Para chegar lá, o turista deve pegar um trem em Visp.

Durante o inverno, Zermatt parece a cidade do Papai Noel. Lindíssima, cheia de lojinhas, restaurantes, bares e turistas em busca da beleza do local ou da prática de esportes como o esqui. Zermatt é um dos principais destinos da Suíça. A cidade oferece atividades diversas e teleféricos imperdíveis. Em caso do céu estar aberto na época que for, procure acordar bem cedo e ver o sol nascer. Ele vai refletindo do cume do Matterhorn para baixo. É um espetáculo a parte.

Zermatt

Onde se hospedar em Zermatt

Se hospedando na vila de Zermatt, você estará a uma pequena caminhada dos dos principais pontos turísticos da cidade, além de uma variedade de lojas, restaurantes, cafés. Mas, você pode optar por hospedar fora do centro, onde vai ser necessário depender dos ônibus ou táxis elétricos para chegar até o centro da cidade.

O que comer em Zermatt

Zermatt é terra do chocolate quente e do fondue. Além disso, você vai encontrar uma variedade de pratos quentes como sopas, massas e pratos à base de queijo, que podem ser acompanhados de uma boa cerveja ou um saboroso vinho.

A culinária suíça reúne influências da cozinha alemã, francesa e do norte da Itália. Zermatt é um destino com variedade gastronômica desde a cozinha típica da montanha, até a alta gastronomia. A cidade oferece uma variedade de cafés, pubs e restaurantes, com diversas especialidades, na avenida principal ou em cenários com a vista para a Matterhorn.

Pratos de origem suíça, conhecidos no mundo inteiro*
  • Foudue de queijo — queijo derretido e pedaços de pão, onde os pedaços de pão, espetados no garfo de fondue são mergulhados no queijo derretido, que é servido em uma panela de cerâmica (canquelon).
  • Raclette — queijo derretido, servido com “Gschwellti” (batatas cozidas com a casca), picles de pepino e mostarda de frutas.
  • Älplermagronen — Um tipo de gratinado de batatas, pastas, queijo, creme de leite e cebolas, acompanhados de purê de maçã.
  • Rösti — Um bolinho achatado de batatas cozidas com casca (Gschwellti) ou cruas raladas, frito em manteiga ou banha quente na frigideira.
  • Birchermüesli — É uma combinação de frutas, cereais, leite condensado, flocos de aveia, suco de limão, avelãs e amêndoas. Foi desenvolvido em torno de 1900 pelo médico suíço Maximilian Oskar Bircher-Brenner e se tornou o prato mais popular no verão.
  • Chocolate suíço — O chocolate suíço dispensa apresentações. Ele chegou à Europa durante o século XVI e, o mais tardar no século XVII, ele se tornou conhecido na Suíça, onde foi produzido. A partir da segunda metade do século XIX, a fama do chocolate suíço começou a se difundir no exterior. Intimamente ligadas a este fenômeno estão a invenção do chocolate de leite, feita por Daniel Peter, e a invenção do conchieren (chocolate cremoso) de Rodolphe Lindt.
  • Queijo suíço —Assim como o chocolate, os queijos suíços também são reconhecidos no mundo inteiro. Cada parte do país, cada região tem seus tipos próprios de queijo: Desde o Vacherin, de massa mole que derrete, o picante Appenzeller e o mundialmente famoso Gruyère. São cerca de 450 tipos de queijo produzidos de um único ingrediente, o leite suíço.

* Fonte: My Switzerland

O que fazer em Zermatt

Vista para a Matterhorn de Gornegrat

A Matterhorn é uma montanhas mais conhecidas no mundo e um dos cartões postais da cidade. A vista da montanha é deslumbrante, desde Zermatt. Ela é famosa por estampar as embalagens do chocolate Toblerone. A montanha tem 4478m e está localizada na fronteira entre a Suíça e a Itália, sendo conhecida como Monte Cervino, no lado italiano. Mas, você pode escolher  vê-la lá de cima das montanhas, subindo Gornergrat.

Gornegrat tem 3089m de altitude e você poderá ver 29 dos 35 picos mais altos da Suíça. Mas, é de onde se tem a melhor vista da Matterhorn. No dia anterior, fique de olho na previsão para ver se vai anunciar céu claro pela manhã. Planeje para sair bem cedo para ver o nascer do sol, quando o pico da Matterhorn fica avermelhado. Para chegar lá, você deve pegar o trem na Gornegratbahn que fica em frente à estação principal de Zermatt. Como é considerada uma ferrovia turística, você consegue somente 50% de desconto com o Swiss Pass.

No trem que o levará até a montanha Gornergrat você terá a oportunidade de alimentar sua retina com as mais belas paisagens da Suíça. São vistas espetaculares de vales, montanhas, glaciares, lagos, cachoeiras, trilhas e de Zermat, se distanciando. Depois, ele se enfia nas montanhas e quando próximo do topo você ficará extasiado com o que vê: O Matterhorn na sua frente, imponente.

 Escalar a Matterhorn 

Devido a sua verticalidade, a escalada ao cume da Matterhorn é tarefa para profissionais experientes (veja o vídeo abaixo). É um desafio que requer respeito, empenho e técnica para ser executado. A região de Zermatt possui 14 das 17 montanhas mais altas dos Alpes, com mais de 4300m.

Prática de esportes durante o inverno

A região de Zermatt, possui outras montanhas de interesse, além da Matterhorn. É onde você vai encontrar o maciço do Monte Rosa, onde está o cume mais alto da Suíça, o Dufourspitze (4634m). Pela altitude, em Zermatt há zonas de “neve eterna”. Assim, é possível esquiar durante o ano inteiro nas encostas da Klein Matterhorn (Pequena Matterhorn) ou do Monte Rosa, inclusive no verão.

Matterhorn Glacier Paradise

O Matterhorn Glacier Paradise é uma das estações mais badaladas de Zermatt, localizada a 3883m, no topo de Klein Matterhorn. A subida é formada por três etapas. A primeira etapa de teleférico que cabem 4 pessoas e as duas seguintes, são em gôndolas que comportam um número maior de pessoas. A vista durante o trajeto é linda, como em tudo no local.

Para quem vai apenas no trecho Zermatt-Furi, o ticket custa 17 francos. Se for até Schawrzsee, 50 francos. E, até Trockener Steg, 66 francos. O passeio completo, até Matterhorn Glacier Paradise, custa 100 francos. Todos esses preços são para adulto, ida e volta. O telefério costuma fechar em condições climáticas desfavoráveis.

Ao visitar o Matterhorn Glacier Paradise em um dia de muito sol você vai ter uma vista estava incrível dos Alpes suíços, sendo possível ver o até Mont Blanc, que fica na divisa entre a França e a Itália. Além disso, a grande altitude faz com que a neve fique em condições ideais para o esqui, mesmo na primavera.

Sunnega Paradise e Rothorn Paradise

Sunnega Paradise é a estação que chegamos mais rápido, basta pegar um funicular na vila de Zermatt, bem perto da estação de trem. Em 5 minutos, é possível chegar ao local onde, no inverno, podemos esquiar e, no verão, fazer trilhas. Além disso, possui uma bela vista para a rainha das montanhas, a Matterhorn. É uma boa opção para iniciantes no esqui. Lá em cima, você vai encontrar um bom restaurante, aluguel de roupas e equipamentos para esqui ou bicicleta, dependendo do clima. Em Sunnega você vai encontrar um restaurante com terraços e belas vistas do Matterhorn e de Zermatt.

Mas, quem quiser subir até Rothorn Paradise, deve pegar um teleférico em Sunnega e seguir até a parada intermediária de Blauherd. Ademais, seguir até o cume arredondado do Rothorn. Provavelmente, um dos melhores locais para ver o Mattherhorn de frente. Uma vista privilegiada dos Alpes suíços e do Vale Matter.

Esportes durante a primavera e o verão

Durante a primavera, em alguns lugares, a neve derrete e o lugar também é ótimo para caminhadas, através de trilhas muito bem sinalizadas, acessíveis a todas as idades. Assim como no Vale da Aosta, nas proximidades do Mount Blanc, neste período, diversos parques abrem e oferecem vários tipos de atividades aos visitantes. Desde caminhadas, mountain bike, tirolesa, entre outros tipos de atividades. Ainda nesta época, as margens do Lago Leisee atrai muitos banhistas, enquanto observadores de esquilos vão para a estação de observação de marmotas, na encosta da montanha Matterhorn.

Trilha entre os Alpes suíços e franceses

A região é clássica entre os praticantes de motanhismo. A Haute Route é uma desafiadora rota internacional, uma espécie de Caminho de Santiago, pelos os Alpes Suíços. Com mais de 400km de trilhas, também leva dias para ser concluída. Saindo de Charmonix, no sopé do Mont Blanc e vai até Zermatt, no Vale Matter. O caminho é de perder o fôlego (pela altitude, literalmente, e pelas paisagens) e inclui as trilhas dos comerciantes de mula, datadas do século XIII.

O indicado para realizar a Haute Route é durante o verão. Mas, também é possível realizar este caminho no período do inverno, o que eleva o grau de dificuldade, por causa da neve. Há diversos níveis de caminho. Mas, em qualquer período, o importante é contratar uma empresa com guia experiente na travessia. Além disso, você deve ter se preparado fisicamente para realizar a travessia, que pode levar vários dias, e munir de todo o equipamento técnico necessário, entre os quais, varias camadas de roupa, botas e calças de alta montanha.

Trilha para os lagos em Zermatt

O mesmo caminho para quem vai para Rothorn Paradise leva para um dos passeios mais belos da Região. A 15 minutos de Sunnega, você vai visitar o Lago Lei (Leisee). Para outros lagos, você deve seguir a rota para Blauherd. Este local é o ponto de partida da rota clássica que leva aos Lago Stelli (Stelisee), Grindji (Grindjisee) e ao Grüen. Atravessando a geleira Findel para alcançar Riffelalp em menos de 3 horas. Tudo isso, sempre com vista para a Matterhorn, a montanha mais fotografada do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *